domingo, 8 de janeiro de 2012

17/12/2011 - 04h36 - Pensamentos


Noite clara... Lembrança intensa e vaga a procura de determinada alma que neste momento tão distante está... No céu uma lua brilha acendendo uma chama interrogativa em meu peito.
Será que estou sentindo saudade?
Queria estar com ele agora... Gosto de suas palavras, de suas ideias... Gosto mais ainda de seu jeito rude e impiedoso escondendo a personalidade mais doce e sutil que já conheci na vida!
Sua sensibilidade é aderente ao que sinto e a tudo que um dia desejei pra mim, como mulher e principalmente como ser humano. Senti-me uma pessoa melhor o tempo que pude estar do seu lado... E de repente senti vontade de ser diferente ou de agir de outra forma. Queria ter dito como me identifiquei contigo e como tenho certeza de que você é alguém importante e especial... Mas ainda tenho medo.  Você é tão convicto bem como eu. Entretanto não sabemos de nada!
Somos parecidos. 
Não quero me assustar... Já estive morta tantas vezes, senti meu coração parar de bater me tirando o folego a perder de vista e ainda continuo aqui. Passo por isso agora sentindo meu corpo e minha alma metamorfosear... Lido de uma maneira até que louvável, porém ainda é complicado entender a razão e as escolhas de alguns seres que assim como eu passam neste mesmo instante pela modificação global de suas estruturas. 
Vou saindo do casulo assim como a cada segundo que passa mais alta fica a lua.
Você mexeu comigo e com minhas verdades. Mas parece que não aconteceu o mesmo contigo. Ainda não consegui captar esta energia.
Queria que fossem reais as coisas que penso e sinto!
Novamente voo no querer de sua companhia esta noite. Mais uma vez e que não fosse igual... Que você pudesse se entregar, se permitir, deixar com que seus sentidos o levasse ao êxtase que seu corpo necessita unindo-se ao meu.  Ando desejando possuir-te com vinhos e palavras que não puderam ser ditas por conta de nossa inercia tradução de traumas passados.

Ando querendo, ver teu sorriso tímido e equilibrado numa noite de lua ou com chuva em um campo verde e florido... Abraçar teu corpo forte mordê-lo, arranhá-lo... Descobri-lo. Vislumbrar seu olhar profundo e verdadeiro... Desvendar o segredo de tua sublime alma... Insanamente sã. Sentir-te pulsar e febril... Tua voz calma... Teu nome!
Lembrar de você queima-me o ser de desejo. Você é o próprio desejo, o maior dos meus neste momento! Ando lírica por sua culpa, você tem transformado as horas em poesia... Prosa, sobre aquilo que há algum tempo vem se tornando desconhecido em mim.
Será que estou enganada sobre tudo isso? Delírios? Estou entre essas possibilidades... Entre os extremos. Sou o extremo e você também é... Somos o caos. Caos de nós mesmos!
Eu perdi o sono pensando em você e em o que poderia ser disso. Eu quero perder o sono com você e não com o seu espectro. 
Deixe-me mais uma vez perder-me em ti. Deixe mais uma vez histórias serem contadas com a fusão de nossos lábios.
Deixe que nossas almas se encontrem em outros níveis vibratórios. Deixe que minhas mãos toquem e acariciem seu o rosto cansado das dores da vida, das injustiças, das perguntas sem respostas ou das respostas incrédulas... Deixe-me adentrar... Enfim... Deixe-me amar-te! Nem que seja unicamente enquanto a lua estiver acima de nossas mentes.
Infinito eu em nós... Liberdade!
***
Ao som de :

2 comentários:

Vodka2009 disse...

Lindo texto, que você nunca perca essa sua sensibilidade de expressar seus sentimentos com as palavras. Beijos

Lê Stabiili disse...

Obrigada meu querido...Muito obrigada mesmo!!! nhá.. adoro vc!!!